QUAIS OBJETOS DE APRENDIZAGEM SÃO MAIS EFICIENTES PARA EMPRESAS

Os treinamentos nas empresas muitas vezes utilizam objetos de aprendizagem de vários tipos, na busca de uma capacitação racional, escalonável e de qualidade.

Trata-se de algo voltado para o ensino que pode ser reutilizado. Recursos como apostilas, animações, softwares, games e simuladores podem ser usados por empresas para capacitar sua equipe. Porém, qual o melhor formato para cada caso?

Os gestores de treinamento nas empresas, ao utilizar objetos de aprendizagem, buscam sistematizar a capacitação sem perder a qualidade. No entanto, objetos de aprendizagem baseados apenas em textos, quizzes, ou mesmo vídeos, podem não surtir o efeito esperado.

Todo investimento, dentro do cenário corporativo, pede resultados. Por isso, esse tipo de situação é o início de um pesadelo para muitos gestores. Mesmo depois de tanto esforço e investimento, boa parte dos colaboradores tem dificuldades de colocar o aprendizado em prática e o gestor permanece com aquela sensação de que eles são incapazes de absorverem o conteúdo.

Entender o objetivo do negócio e o que a equipe precisa fazer é fundamental para decidir qual objeto de aprendizagem adotar no treinamento corporativo.

APRENDIZAGEM PASSIVA E ATIVA

Uma forma de distinguir os objetos de aprendizagem é entre os passivos e ativos. Os passivos englobam materiais expositivos para leitura, visualização e/ou audição.

Essa diferença pode ser melhor percebida no cone da aprendizagem que organiza uma escala da cognição humana em relação à retenção do aprendizado, sendo a menor no topo e a maior na base.

cone da aprendizagem

Cone da Aprendizagem

O aprendizado ativo, ou seja, aquele que envolve a ação e a expressão, costuma ser mais efetivo quando comparado ao aprendizado passivo, onde o indivíduo apenas escuta, lê ou ouve um determinado conteúdo.

Essa noção sobre o aprendizado já fora expressada pelo famoso pensador chinês Confúcio em sua célebre frase:

Aquilo que escuto eu esqueço, aquilo que vejo eu lembro, aquilo que faço eu aprendo.”

SIMULADORES E GAMES

Alguns dos objetos de aprendizagem mais versáteis são os simuladores virtuais e os serious games. Tais tecnologias estão na base do cone da aprendizagem pois preconizam a prática como principal condutor do treinamento.

A utilização de simuladores virtuais no ambiente de indústrias, por exemplo, procura recriar as situações reais para que as pessoas aprendam na prática. Tal abordagem, além de ser muito eficiente para o aprendizado, permite reduzir custos e prevenir acidentes. Um simulador é capaz de treinar situações de risco que nunca seriam possíveis com métodos tradicionais.

Já os serious games, para além do senso comum, não tem o objetivo de tornar o treinamento divertido ou bonito, mas sim de usar a estrutura lúdica dos jogos para criar um desafio prático, onde os colaboradores podem ter uma experiência com o objeto de aprendizagem e aprender com seus próprios erros.

A Oniria é uma empresa de tecnologia dedicada a desenvolver objetos de aprendizagem como games e simuladores. Conheça alguns exemplos e saiba como podemos ajuda-lo a criar um objeto de aprendizagem ideal para seu treinamento corporativo.

Baixe o Ebook APRENDA COMO SE PREPARAR PARA IMPLANTAR UM SIMULADOR