Como trabalhar os 4Ps de marketing com simulação virtual?

Quando falamos em 4Ps queremos dizer produto, preço, praça e promoção. O mais interessante é que tais fatores podem ser trabalhados, conjunta ou individualmente, com a ajuda de um simulador virtual, trazendo inovação para o negócio.

Como engajar colaboradores com a realidade virtual

A realidade virtual não é mais só ficção científica. Ela chegou para ficar e está mais acessível do que nunca, representando grande oportunidade para engajar os colaboradores com o negócio.

Como ensinar um colaborador a superar desafios

Em um ambiente cada vez mais dinâmico e com colaboradores ansiosos por reconhecimento, os métodos de treinamento convencionais já não surtem tanto efeito. O problema talvez esteja no engajamento proporcionado. Mas hoje, trazemos uma solução interessante para a sua empresa.

Serious Games: O que são e como aplicar no seu negócio

O mercado de games no Brasil está expandindo, mas o que também está crescendo é o número de empresas que está recorrendo a estratégias de gamificação para desenvolver habilidade e competências dos colaboradores e atingir melhores resultados. Assim, não existem apenas os games voltados para o entretenimento, mas também os chamados serious games, ou jogos sérios, que têm por objetivo entreter, mas principalmente inserir o participante em uma situação específica para que ele tome decisões e encare desafios.

3 motivos para usar a realidade virtual em treinamentos

3 motivos para usar a realidade virtual em treinamentos

Graças à evolução tecnológica, hoje é possível aplicar um treinamento prático por meio de simuladores virtuais. Antes visto apenas como uma promessa futura, ele chegou para ficar e já é utilizado com sucesso por muitas empresas.

Gamificação: como reconhecer os 4 perfis de jogadores

Para adotar essa estratégia de Gamificação e ter ações assertivas, é preciso conhecer o perfil dos participantes, extraindo o melhor de cada um deles e adotando as mecânicas corretas, que potencializam o desenvolvimento de habilidades e competências e auxiliam na tomada de decisões. Considerando esse contexto, esse post apresentará os 4 tipos de perfis existentes e mostrará como a gamificação pode melhorar os resultados da empresa.

Qual o formato de aprendizagem ideal para o treinamento dos funcionários?

Em qualquer empresa é necessário fazer treinamentos com os colaboradores. Isso ajuda a capacitar os profissionais, ampliar conhecimentos, conhecer tendências e novas abordagens e desenvolver habilidades e competências. Assim, com profissionais bem capacitados, a empresa tem mais competitividade, ganha em produtividade e reúne uma equipe estruturada para enfrentar os desafios do mercado. O problema é que nem sempre os treinamentos são bem-sucedidos – e isso pode desmotivar os colaboradores. Então, qual a solução? A saída é escolher o melhor formato de aprendizagem para os seus colaboradores.

5 sinais de que a sua empresa precisa atualizar as formas de treinamento

Todos nós sabemos que o treinamento é importante para o desenvolvimento profissional dos colaboradores e um forte aliado das estratégias de melhorias no negócio. Porém, os métodos tradicionais podem não atingir um nível de aprendizado satisfatório, frustrando gestores e colaboradores.

gamfiication

O conceito de "Aprender Fazendo" em treinamentos corporativos

O Learning By Doing, ou Apender Fazendo, está intimamente relacionado ao autodesenvolvimento. As técnicas envolvem o ensino e aprendizado através de atividades experimentais. Com o processo Learning By Doing, os colaboradores constroem seus valores, conhecimentos e habilidades a partir de experiências, e o aprendizado é enraizado de forma consciente, enquanto a atividade é desenvolvida, praticada constantemente.

Engajamento de equipes: como usar a Gamificação para melhorar as vendas

O setor de vendas seja crucial para a organização, no entanto, muitas vezes a empresa tem dificuldades em vender e a pergunta que fica é: o que pode ser feito? A solução consiste em engajar os vendedores de forma assertiva, passando a cobrar o esforço e não o resultado da equipe.