Como planejar treinamentos com Realidade Virtual

A realidade virtual (VR) existe a muito tempo, mas usava tecnologias caras que acabavam restringindo seu uso a poucas empresas. Hoje em dia, a tecnologia avançou e ficou mais acessível, permitindo utilizar essa tecnologia em variados contextos, como em treinamentos e capacitações corporativas.

Por isso, frente a esta nova possibilidade é importante entender como planejar o uso dessa tecnologia, sabendo o que esperar e quais formatos é possível obter melhor custo benefício.

ESCOLHENDO O FORMATO ADEQUADO

A realidade virtual geralmente utiliza um dispositivo para colocar a pessoa dentro de um ambiente digital, trazendo a sensação de presença e imersão em um espaço diferente de onde ela realmente está. Porém, existem diferentes dispositivos que podem ser usados, cada um com prós e contras e um tipo de experiência distinto.

Existem os dispositivos baseados em celulares embutidos em óculos VR, esse é o caso do Google Cardboad e do Gear VR. São dispositivos mais baratos, porém com interação e imersão limitadas.

Por outro lado, existem os dispositivos dedicados à realidade virtual, é o caso dos óculos Rift e do HTC-Vive. Esse tipo de dispositivo possui sensores que permitem a pessoa se mover pelo ambiente virtual e interagir com coisas através de controles (joysticks).

Exemplo de treinamento com formato mobile VR

Portanto, se o seu treinamento requer executar procedimentos, tomar decisões e interagir com objetos no espaço, os dispositivos dedicados trarão melhores resultados. Porém, caso seu treinamento exija pouca interação da pessoa, os dispositivos baseados em celulares podem ser a melhor opção.

CONTEÚDO COM FOCO NA PRÁTICA

Treinamentos teóricos geralmente são organizados através de temas e tópicos, fazendo uma organização baseada em assuntos, tendo a prática geralmente no final. Essa é a abordagem tradicional do ensino, mas se pensarmos dessa mesma forma para um conteúdo virtual, podemos prejudicar o custo benefício de um treinamento VR.

Para organizar um treinamento com realidade virtual, devemos ter foco na prática. Afinal, esta é uma das qualidades da tecnologia. Por exemplo, se considerarmos um treinamento sobre NR-35 Trabalho em Altura, onde é exigido um treinamento teórico e prático, o treinamento com realidade virtual ao invés de seguir os tópicos exigidos da norma, ele pode se basear em uma atividade de trabalho em altura rotineira da empresa (trabalho em andaime, por exemplo), para que o colaborador veja os temas relacionado ao trabalho em altura em um contexto real e tenha uma introdução à prática através da realidade virtual.

Exemplo de Realidade Virtual para treinamento prático

EVITANDO VIRTUALIZAR TUDO

Uma das armadilhas ao criar um treinamento em realidade virtual é ter a expectativa de recriar toda a realidade no mundo virtual. Isso pode prejudicar o custo benefício do programa de capacitação com VR. Por isso é muito importante entender o objetivo do treinamento para planejar como deve ser a prática.

Por exemplo, em uma capacitação VR sobre percepção de risco um bom objetivo seria “exercitar a percepção de risco do colaborador”, ao invés do próprio colaborador executar todas as atividades quem envolvem risco no ambiente virtual, o melhor seria mostrar situações certas e erradas e deixar o colaborador identificar isso no ambiente, pois o objetivo é treinar a percepção.

Pensando nessas questões a Oniria desenvolveu a ferramenta Virtua Workshop, uma tecnologia voltada para treinamentos com realidade virtual que permite cadastrar diferentes exercícios e avaliar os resultados dos treinamentos em VR. Para saber como podemos ajudar, entre em contato com a Oniria!

Baixe o E-book de como calcular o ROI em Simuladores Virtuais