3 aspectos a considerar na hora de criar um aplicativo para seu negócio

Com a evolução da internet, cada vez mais trabalhos são feitos por lá. Isso tem contribuído para um alto engajamento do público com ferramentas mais interativas e que não só otimizem suas tarefas, mas também dê a motivação necessária para continuar. O app (aplicativo) é um exemplo claro disso, passando a ser uma ferramenta poderosa para promover o engajamento dos colaboradores com as atividades de trabalho e resolver gargalos do dia a dia.

Muitos empresários enxergam essa oportunidade com bons olhos e já buscam meios de melhorarem suas estratégias. Mas é preciso planejamento e alguns cuidados para garantir resultados satisfatórios. Destacamos 03 aspectos que você precisa considerar para criar um aplicativo para auxiliar nos processos do seu negócio.

1. Comportamento do usuário

Antes de qualquer coisa, você precisa conhecer o comportamento da sua equipe com a tecnologia, se eles gostam ou não, tem dificuldade e se o público que irá usar o seu aplicativo já utiliza um celular, smartphone ou qualquer outro dispositivo móvel para auxiliar nas atividades profissionais. Caso utilizem, o processo será mais fácil e rápido de atingir os resultados. Por outro lado, caso não possuam esse hábito, você precisará definir como fará para convencê-los a utilizar o app.

Ao obter informações mais completas sobre o perfil dos usuários, você poderá estabelecer parâmetros de como o aplicativo deve ser e sua verdadeira utilidade na vida dessas pessoas. O que exatamente elas farão por lá que agregue melhores rendimentos no trabalho e desenvolvimento profissional.

2. Contexto de uso

É bom lembrar que, sem um benefício claro, provavelmente os colaboradores não vão querer usar o app. Se a utilização do aplicativo não resolver nenhum gargalo dos processos, não agilizar ou facilitar um tipo de tarefa e se for mais complicado de utilizar que o processo convencional, possivelmente o aplicativo não irá gerar resultados satisfatórios.

Um dos principais motivos que podem ajudar os colaboradores a aderirem o uso do app da empresa é a utilidade agregada em seu dia a dia. Uma estratégia muito usada é a da Gamificação, que incorpora elementos de jogos no aplicativo que ajudam as pessoas a perceberem valor na utilização dessas ferramentas e processos.

Ao considerar o comportamento dos seus funcionários, a empresa pode alinhar as tarefas com alguns dos princípios e valores defendidos pelos colaboradores. Veja algumas vantagens que o aplicativo pode proporcionar:

  • A otimização das tarefas realizadas pelo app podem proporcionar mais tempo livre aos colaboradores;

  • O colaborador pode buscar conhecimentos e melhores práticas para atingir níveis de desempenhos mais altos;

  • Práticas podem ser melhoradas através das inovações tecnológicas;

  • O aumento da produção pode implicar em melhores comissões;

  • Altos níveis de desempenho estimulam o desenvolvimento da carreira.

De modo geral, o aplicativo deve atender uma necessidade, resolver um problema e estimular o desenvolvimento das pessoas. Uma boa dica é incorporar a Gamificação no app para criar um ambiente de colaboração e reconhecimento pelo empenho.

3. Conteúdo certo

Um erro muito comum é tentar recriar todos os processos da empresa dento do app ou criar funcionalidades que já existem em outras soluções. É importante o aplicativo ter um foco claro e abordar um gargalo ou problema específico.

Considere as funcionalidades necessárias que ele deve possuir para não gerar expectativas exageradas. Dessa forma ele irá agregar real valor ao negócio. Aplicativos também podem ser atualizados e evoluir com tempo, agregando novas funcionalidades baseadas na experiência e sugestões dos usuários. Uma boa ideia é criar um canal de comunicação para receber feedback das pessoas que utilizam o app.

Existem diversos tipos de conteúdos e recursos interativos que um aplicativo pode utilizar para, por exemplo:

  • Perfis de acesso a diferentes tipos de usuários;

  • Integração com sistemas da empresa (LMS, ERP, etc);

  • Sistemas de sincronismo para funcionar tanto on-line quanto off-line;

  • Alertas e notificações no app para enviar mensagens aos usuários;

  • Recursos interativos como GPS, movimento, vibração, som, câmera, etc.

Tais recursos são bem aproveitados em um aplicativo que faça parte de uma estratégia de Gamificação, pois faz uso desses elementos interativos dentro de uma mecânica e narrativa de game que ajudam a estruturar como o aplicativo deve ser, articulando o comportamento dos usuários, o contexto de uso, e o conteúdo certo.

Gamificação no trabalho. Por onde começar?