Incentivos podem ser um tiro no pé! Essa é a motivação para sua equipe?

Ao longo do tempo, inúmeros estudos foram realizados acerca da motivação humana para o trabalho. No caminho, grandes descobertas foram feitas e mitos desfeitos. O problema é que, até hoje, muitos gestores ainda desconhecem esses estudos e encontram grandes dificuldades em compreender o que leva ao engajamento de equipe. Incentivos financeiros como bonificação para os resultados alcançados não resolvem por muito tempo e o problema continua. Pensando nisso, desenvolvemos esse post para ajudar você a entender porque utilizar apenas incentivos financeiros para engajar funcionários pode ser um tiro no pé, se usado no contexto errado.

1. Bonificação através de incentivos financeiros não passa de senso comum

Há algum tempo, acreditava-se que as bonificações por resultados através de incentivos financeiros eram a melhor forma de manter a motivação dos trabalhadores. Porém esse conceito não passa de senso comum. Quando se pagava mais, trabalhavam um pouco mais e, isso, era interpretado como solução. Contudo o que os estudos científicos atuais demonstram são outros fatores. Há um desencontro entre o que a ciência sabe e o que os negócios fazem.

“Nós achamos que incentivos financeiros pode de fato reduzir a motivação intrínseca […]. Como consequência, a oferta de incentivos pode resultar em um impacto negativo no desempenho global” – Dr. Bernd Irlenbusch do Departamento de Administração da LSE (London School of Economic and Political Science).

2. Incentivos financeiros geram apenas um tipo de motivação

Incentivos financeiros pagos a colaboradores que trabalham com tarefas repetitivas funcionam bem para manter a motivação, mas não para tarefas que exijam criatividade. As Tarefas repetitivas não despertam desafios e não permitem que o funcionário brilhe.

Foi o que apontou o autor Daniel Pink em sua palestra The Puzzle of Motivation.

“Esses contingentes motivadores, se fizer isso, receberá aquilo, funcionam em algumas circunstâncias. Mas para muitas tarefas, eles realmente não funcionam ou, frequentemente, eles prejudicam. Essa é uma das descobertas mais robustas em ciência social. E também uma das mais ignoradas”.

O que observamos é que para um trabalho mecânico e repetitivo, os incentivos financeiros podem ajudar, mas para tarefas criativas e complexas, os mesmos incentivos podem até prejudicar o desempenho.

3. A motivação por engajamento de equipe

Hoje, a ciência que estuda a motivação para o trabalho possui uma abordagem diferente e funcional. A motivação vem de dentro e não de fora. Para isso, a nova abordagem se baseia em três pilares fundamentais: Autonomia (a vontade e o poder de terem controle sobre suas próprias vidas), Domínio (a vontade e o poder de fazer algo de valor por alguém ou alguma coisa que importa. Pode ser uma causa que defende) e Propósito (a vontade e o poder de fazer parte de algo grande ou um bem maior). Seguindo essa nova abordagem, a técnica da gamificação surge como uma solução muito eficiente para promover o engajamento de equipe respeitando e aplicando os pilares fundamentais da motivação.

4. As técnicas da gamificação

Funil da gamificação:

Funil de Gamificação

A gamificação tem o poder de agregar um significado pessoal com o trabalho substituindo a bonificação por reconhecimentos. Estruturada em cinco etapas, a gamificação pode elevar o nível de engajamento dos colaboradores através do aprendizado até a fase da liderança incorporando a cultura da empresa e permitindo que trabalhos sejam realizados com excelência. O nível de satisfação vai subindo conforme o colaborador avança no funil da gamificação.

5. Como eu posso promover o engajamento de equipe com essas técnicas

Através da identificação dos gargalos nas empresas, a solução passa por uma estratégia de gamificação, que irá abordar os gargalos com a mecânica, interatividade e estética dos games através de aplicativos, integrações de processos e ferramentas organizados em uma ferramenta de gamificação. A Oniria realiza esse trabalho através de uma ferramenta online e possibilita que seus clientes construam estratégias de gamificação para seus negócios de forma profissional. Com o acompanhamento da Oniria em cada fase do processo, as empresas recebem o controle da informação e participam ativamente do gerenciamento da estratégia.

A Oniria vai além do senso comum e baseia-se em pesquisas científicas para criar soluções efetivas de motivação para o trabalho. Leia outros conteúdos exclusivos e conheça mais sobre Gamificação e Simuladores Virtuais!

Leia também: Você Sabe a Diferença Entre SIMULADORES VIRTUAIS, GAMES e GAMIFICAÇÃO?

Descubra O QUE NÃO PODE FALTAR no seu Plano Anual de Capacitação

Exclusivo: Você Sabe Como é a MONTAGEM de um SIMULADOR VIRTUAL IMERSIVO?