Como usar conceitos de games dentro da empresa

O conceito de gamificação é cada vez mais usado e muitas pessoas esbarram com pelo menos uma coisa que tem ele como base no seu dia a dia, sem sequer notar: fazendo check-in em novo restaurante no Foursquare, terminando mais uma lição no Duolingo para subir de nível, ou até mesmo fazendo mais reviews no TripAdvisor para ganhar novas medalhas. Nessas situações, nós nos divertimos e queremos participar mais, sem perceber exatamente por quê.

Mas esses conceitos podem ser usados de diversas maneiras para fazer exatamente o que tais apps mostram: colocar um pouco de diversão em tarefas que muitos consideram chatas. Por isso a gamificação é cada vez mais usada nos negócios para incentivar a produção, competitividade, e até mesmo colaboração entre funcionários.

O que é gamificação nos negócios?

Empresas já usam estratégias de gamificação para fidelização de clientes, mas o que muitos não sabem é que existem ainda mais benefícios ao adotar a estratégia dentro de um negócio com equipes de colaboradores. A prática vem sendo adotada por grandes empresas nos últimos anos, e estima-se que em 2015 o mercado da gamificação deva movimentar mais de US$2 bilhões. Mas como esse tipo de conceito pode ser aplicado dentro de empresas?

A previsão é que em um futuro não muito distante, tudo o que um funcionário fizer poderá ser medido. Pode parecer um pouco assustador, mas esse processo já acontece naturalmente em equipes de venda – sempre competindo entre si para ver quem conseguiu vender mais no fim do mês – e até mesmo com portais de notícia nos quais os views de cada artigo são meticulosamente medidos antes de serem selecionados para a página principal. O objetivo da gamificação nos negócios é aplicar essa ideia a todos os campos possíveis.

Conceitos de games no trabalho

Conceitos conhecidos de games, como pontuação, recompensas, regras e feedback, são os mais aplicados na gamificação de negócios. A ideia é criar uma metáfora entre o trabalho e as metas do negócio, na qual o progresso do trabalho dos funcionários resulta em uma evolução dessa metáfora, utilizando elementos de games como rankings, medalhas, pontos, barras de energia etc. Atividades que antes eram sem graça – como preencher cadastros completos de clientes – agora são recompensadas com altas pontuações e percebidas como importantes através da metáfora que funciona como um sistema de feedback.

Algumas ideias levam o conceito ainda mais longe: usando ferramentas de clássicos games de RPG, como experiência específica para cada função executada, a gamificação pode auxiliar até mesmo na hora de promover um funcionário. Mas a estratégia da gamificação não visa deixar o trabalho divertido, é preciso conduzir resultados do negócio.

Funcionários mais motivados em um ambiente competitivo, de maneira saudável, estarão em uma busca constante por maiores conquistas. Mas não é só a competição que incentiva, é importante também trabalhar com a motivação interna de cada pessoa. O uso de feedbacks constantes de ações realizadas por colaboradores não só os ajuda a continuarem motivados, como também permite ao responsável pela gestão ter mais controle e conhecimento sobre o que acontece e como as tarefas são realizadas.

Um dos aspectos mais importantes da gamificação é o reconhecimento dos funcionários, que faz com que eles encontrem significado pessoal nas atividades de trabalho e tenham a sensação de conquista. Isso normalmente é incentivado através do uso de pontuação, recompensas por conquistas e progresso – como medalhas e níveis – e até mesmo prêmios. Esse tipo de estratégia normalmente funciona muito bem para participantes que possuem metas baseadas no esforço pessoal.

Equipes mais unidas

A gamificação não só incentiva uma competição saudável, mas também deixa equipes mais unidas quando objetivos comuns são implementados. Times de vendas conhecem práticas como recompensas para toda a equipe caso uma loja consiga atingir uma cota geral de vendas em um mês. Trabalhando com a gamificação em dois canais, é possível manter o ambiente competitivo e também colaborativo, balanceando as relações dos funcionários.

Alguns funcionários podem se encaixar no papel de exploradores, e são motivados pela exploração de informações, busca de falhas operacionais, proposição de inovações. Eles são os funcionários que vão buscar aprender novas formas de realizar tarefas e compartilhar experiências com seus colegas, e junto aos jogadores sociais melhoram o trabalho em equipe e fazem com que a gamificação no trabalho deixe de ser meramente competitiva. Esse comportamento une as equipes e faz com que seus colaboradores criem um ambiente onde ensinar e ajudar seus colegas se torna cada vez mais comum.

Um novo comportamento

O crescimento da gamificação no ambiente de trabalho é iminente, e novas ideias de como ela pode ser trabalhada continuam surgindo todos os dias com benefícios diretos sendo notados. O uso de conceitos de games- antes discriminados como entretenimento infantil, e agora reconhecidos como uma forma de estratégia – é cada vez mais comum, seja pelo uso de simuladores, serious games ou implementados através da gamificação.

Esse novo comportamento dita as mudanças nas formas de fazer negócio, gerenciar equipes, e fidelizar clientes. Ele está presente em tantos aspectos da vida das pessoas que com o tempo passa a ser esperado, sendo assim, as empresas que não aplicam aspectos da gamificação nas suas relações podem arriscar perder espaço no mercado.

Baixe o Ebook Saiba como usar Serious Games a favor do treinamento de profissionais